MENU DE APRENDIZAGEM

PAPÉIS OU MISSÕES INDIVIDUAIS

Este assunto ainda não tem um bom conteúdo em português. Estamos produzindo e traduzindo algumas coisas e em breve atualizaremos este Menu de Aprendizagem.
Por enquanto, veja abaixo, nosso texto sobre o tema.

PAPÉIS OU MISSÕES INDIVIDUAIS

por Hifa Educação

Apresentação

“Papéis ou missões individuais” é uma estratégia que oferece orientações e responsabilidades customizadas aos estudantes, direcionando suas atuações em grupos ou ajudando-os a alcançar objetivos específicos durante uma aula ou sequência didática. Pode parecer simples em sua concepção, mas é uma forma potente de engajar os estudantes em objetivos e ações personalizadas.

No trabalho em grupo, esses papéis podem direcionar a atuação de cada um, para que diferentes habilidades sejam valorizadas e desenvolvidas, e evitar que a divisão seja feita apenas para fragmentar o conteúdo ou a carga de trabalho. O grupo pode ter o “porta voz”, que cuida da interlocução com a professora, ou o professor;  o “pesquisador”, que tem acesso a recursos como livros e dispositivos; o “mediador”, que conduz as  discussões e garantem o tempo de fala; o “cuidador”, que garante a qualidade e o cuidado dos materiais produzidos, entre várias outras possibilidades. 

Num olhar mais detalhado, missões individuais podem ser atribuídas aos estudantes para desenvolver pontos de melhoria ou explorar suas facilidades em prol da aprendizagem e do funcionamento da turma. Distribuir cartões ao início da aula com as missões descritas ajuda a criar um compromisso com o estudante em relação ao seu objetivo específico. Missões desse tipo podem ser: “escutar ativamente a opinião de três colegas na aula de hoje”, “falar em voz alta ao menos uma vez hoje”, “contar mentalmente até 3 após a fala dos colegas antes de falar”.

Quando cada aluno tem uma função específica a desempenhar, eles se tornam mais engajados e motivados a contribuir para o cumprimento dos objetivos da aula.

 

Um exemplo

Em uma aula de Língua Portuguesa do 9º ano, a turma deveria produzir, em grupo, o roteiro de um podcast. Em cada grupo, foram atribuídos os papéis de porta-voz, pesquisador, redator e mediador. Além destes papéis individuais, foram delegadas, a partir de autoavaliações anteriores e objetivos definidos com os próprios estudantes, as seguintes missões: “explicar pacientemente meu ponto de vista quando questionado”, “ouvir a opinião de todos do grupo antes de dizer a minha”, e “registrar por escrito os principais pontos para não esquecer”. Assim, os papéis orientaram o trabalho no grupo de forma mais genérica e as missões individuais direcionaram o olhar dos estudantes a questões mais específicas e comportamentais.

Por onde começar

  • Reflita sobre os momentos e as atividades que podem ser beneficiadas com os papéis ou as missões e escolha qual delas irá usar inicialmente.
  • Defina os perfis: detalhe os objetivos e as ações esperadas de cada perfil de estudante, seja para o trabalho em grupo, seja para o desenvolvimento individual.
  • Atribua os papéis e missões: comunique de forma explícita o que se espera, exemplificando e garantindo, assim, que os estudantes tenham condições para o melhor desempenho possível.

Características

  • Aprendizado personalizado: “missões individuais” permitem que os alunos tenham experiências personalizadas, adaptadas às suas habilidades, seus interesses e seu ritmo, para além do conteúdo acadêmico.
  • Engajamento e responsabilidade: a abordagem promove o engajamento dos alunos, uma vez que eles assumem papéis ativos em seu próprio processo de aprendizado.

Pontos de atenção

  • Equilíbrio entre os momentos de fortalecer os pontos fracos e de valorizar os pontos fortes. Atribuir o papel de mediação ou uma missão de “se expressar perante a sala” para um estudante tímido pode contribuir com o exercício de novas habilidades, mas pode também gerar desconforto e frustração. Para evitar tais casos, associe a estratégia a processos de autoavaliação e ao diálogo aberto com os estudantes.
Pular para o conteúdo