O Modelo Virtual Enriquecido e a reabertura das escolas

Author picture

Postagem original 11/06/2020  Atualização 29/12/2020

A pandemia do COVID-19 mudou o mundo como o conhecíamos. Na Educação, estratégias de ensino remoto de emergência possibilitaram (em alguns casos) a continuação das atividades escolares, mesmo que tenham sido necessárias diversas adaptações e concessões.

Encontramos muitos desafios, como:

  • Falta de dispositivos para que os estudantes pudessem acompanhar as aulas;
  • Falta de conexão com a internet;
  • Incompatibilidade entre a rotina escolar e a rotina da família;
  • Falta de autonomia das alunas e dos alunos;
  • Dificuldade em verificar o aprendizado individualmente;
  • Desgaste físico e emocional de estudantes e docentes.

Embora a situação do Brasil em meio à pandemia ainda não esteja caminhando para uma solução, em um cenário otimista, iniciaremos a reabertura das escolas no segundo semestre e precisamos de estratégias para garantir o aprendizado e proteger a vida e a saúde de todas e todos. [Nota: Este parágrafo foi escrito em junho de 2020, no entanto, com a pandemia durando quase um ano, o parágrafo segue válido após atualização]

Gradativamente, algumas instituições vêm retomando parcialmente as atividade presenciais. Em alguns casos, parte da turma assiste à aula presencialmente e outra parte, acompanha a transmissão por vídeo. Equivocadamente, 

“O Ensino Híbrido é qualquer programa educacional formal no qual um estudante aprende, pelo menos em parte, por meio do ensino on-line com algum elemento de controle do estudante sobre o tempo, o lugar, o caminho e/ou o ritmo.” (Horn, 2015).

Essa abordagem metodológica, compreende, mas não se limita a:

  • Mescla de tecnologias analógicas e digitais, offline e online;
  • Personalização do ensino;
  • Aumento da qualidade da mediação do aprendizado.

Há diferentes modelos para a implementação do Ensino Híbrido. Os mais conhecidos são a Sala de Aula Invertida e a Rotação por Estações.

Um modelo pouco comentado, por ser distante da realidade da educação brasileira em um cenário regular, desponta como uma possível estratégia no retorno gradual às aulas presenciais. Esse modelo é o Virtual Enriquecido e consiste em um curso que está estruturado em um formato online, mas conta com encontros presenciais como forma de suplementação.

“O modelo Virtual Enriquecido é uma alternativa à escola on-line em tempo integral que permite que os alunos concluam a maioria dos cursos on-line em casa ou fora da escola, mas frequentam a escola para sessões de aprendizado presenciais necessárias com um professor. Ao contrário da sala de aula invertida, os programas virtuais enriquecidos geralmente não exigem frequência escolar diária; alguns programas podem exigir apenas frequência duas vezes por semana, por exemplo.” (Clayton Christensen Institute, 2020)

Veja algumas das características do modelo:

CasaEscola
Instrução e Conteúdo On-lineSuplementação presencial
Estrutura do curso
Roteiros de estudo
Vídeoaulas
Videoconferências
Exercícios e projetos individuais
Sondagem do aprendizado Atividades diagnósticas
Plantões de dúvidas
Monitoria individual
Atendimento em pequenos grupos
Aulas de reforço
Avaliação
Grupo de estudos
Professores planejam os roteiros
Entrega de materiais impressos

Nesse modelo, cada estudante acessa os conteúdos e realiza a maior parte das atividades em meios digitais à distância. De acordo com o planejamento para o grupo, ou necessidades individuais, encontros presenciais podem acontecer para atender a dificuldades, realizar avaliações, fornecer materiais impressos ou até mesmo suporte socioemocional para estudantes e famílias.

  • Diminuição na lotação das escolas;
  • Personalização do aprendizado (tempo, espaço, recursos etc);
  • Apoio aos alunos que não estão acompanhando o modelo remoto;
  • Atendimento psicopedagógico;
  • Suporte socioemocional à equipe, famílias e estudantes;
  • Suporte com material impresso;
  • Evidências presenciais de aprendizado.

Se você gostou deste conteúdo, compartilhe =)
Apoie nosso trabalho e o de mais colegas da educação

Alguns pontos a considerar antes de implementar o modelo:

  • Selecionar objetivos e conteúdos estruturantes do currículo;
  • Construir instrumentos que evidenciem o aprendizado;
  • Estruturar os cursos em ambiente online;
  • Padronizar comunicação com estudantes e famílias;
  • Planejar os momentos presenciais e suas escalas;
  • Capacitar e definir funções na equipe;
  • Definir processos internos (editoração, gráfica, logística etc.).

Quer saber mais?

Compartilhe este conteúdo

Fique por dentro

Pular para o conteúdo